Skip to main content
businessman climbing on ladder and drawing  chart

O que é o “Mini MBA de Vendas” da Paixão por Vendas?

Conheça um pouco mais sobre o “Mini MBA de Vendas” da Paixão por Vendas | PPV Law e entenda como esta solução intensiva e customizada de aprendizagem corporativa de vendas consultivas de alta performance pode alavancar as vendas, resultados, performance e produtividade do seu time de vendas.

Conte conosco para te ajudar a vender mais, melhor e com muito mais técnica e paixão!

Boas Vendas!

José Ricardo Noronhajosericardo@paixaoporvendas.com.br

Bruno Strunz | bruno@paixaoporvendas.com.br

Zielscheibe mit 3 Pfeilen

Execução é tudo em vendas!

Em minhas palestras, cursos e aulas de MBA, costumo sempre dizer que muitas são as empresas que são realmente brilhantes na formulação de estratégias que tem tudo para se tornarem grandes sucessos de vendas, mas que no entanto falham terrivelmente na hora da execução.

E como é que se pode explicar resultados aquém dos previamente estabelecidos ou muitas vezes desastrosos em uma estratégia bem desenhada? De forma bastante simples e direta, pode-se dizer que quando a estratégia falha (e as vendas não acontecem), isso se dá usualmente em virtude de uma execução falha. No mundo das vendas profissionais, costumo dizer que há um gap muito grande entre uma estratégia que é bem formulada e a execução que é mal realizada, o que acontece principalmente em virtude do não investimento em capacitação e treinamento da força de vendas.

Incluir processos claros que permitam monitorar a performance de vendas e tornar a execução a mais disciplinada possível são duas ações absolutamente fundamentais para se obter resultados e para que fazer com a estratégia realmente funcione bem. Mas tão importante ou talvez até mais que estas duas ações é treinar, treinar e treinar a sua força de vendas para que seus vendedores (por favor parem de chamá-los de consultores, especialistas de vendas etc) entendam de forma precisa qual e á estratégia da empresa, como ela deverá ser executada e com quais ferramentas e técnicas.

Se você já é um líder de vendas, eu compartilho algumas dicas que tenho certeza lhe serão de grande valia na criação de uma cultura voltada à boa execução:

  • A estratégia deve ser simples de entender. Seja um profundo conhecedor das minúcias e detalhes da estratégia da sua empresa e por mais complexa ela for torne-a a simples de ser entendida pelos seus profissionais e esteja ao lado deles o quanto puder, estabelecendo uma comunicação 100% franca que lhes permita dizer se há dúvidas, questionamentos ou discordâncias em relação aos planos estratégicos estabelecidos.
  • Metas e prioridades claras. Olha a simplicidade aqui novamente! Por mais complexas sejam as metas e prioridades da estratégia da sua empresa, elas precisam estar claras nos corações e mentes da sua força de vendas. Uma vez estabelecidas e devidamente entendidas, monitore-as com disciplina ferrenha.
  • Feedback sempre e foco na performance. Vivemos um hiato de lideranças e talentos nas organizações e os grandes líderes são aqueles que inspiram, cobram resultados e estão (de verdade!!) ao lado das suas equipes comerciais. Por isso mesmo, mantenha contato constante com seus liderados dando coaching (ao compartilhar suas experiências e perspectivas e ao entender realmente bem os drivers de execução e missão de existência dos seus liderados) e apoio para que cada um dos indicadores de performance estabelecidos nos planos estratégicos sejam perseguidos e alcançados um a um.  Processos bem definidos, perseguidos e bem implementados!
  • Premie os melhores. Aos profissionais de mais elevada performance, prêmios , coaching e treinamento para produzirem ainda mais. Aos de performance mediana, ainda mais treinamento e acompanhamento para entender onde estão e quais são os gaps que os tem impedido de performar bem. E aos de performance ruim e comportamentos inadequados, é melhor se desvencilhar deles. Legal lembrar aqui dos ensinamentos do Jack Welch (da famosa regra 20-70-10), onde 20% são os “top performers”, 70% os “middle performers” e 10% os “poor performers”.
  • Treinamento hoje e sempre. Diante de um mercado cada vez mais complexo, repleto de competidores (que tendem a comoditizar a maioria dos produtos e serviços) e de clientes mais exigentes, só há uma certeza: se você e sua Equipe continuarem a fazer o que sempre fizeram, o melhor que lhes poderá acontecer é continuar colhendo os mesmos resultados, o que ao final do dia significa não crescer e dar espaço de crescimento aos seus concorrentes. Por isso mesmo, invista de forma vigorosa na capacitação e treinamento da sua força de vendas. Invista em técnicas de negociação, liderança, comunicação (em breve abordarei o apaixonante tema de linguística de vendas aqui neste Blog), intraempreendedorismo, técnicas de vendas, encantamento de clientes, atendimento etc.

No vídeo abaixo em uma entrevista minha com o brilhante amigo Eugenio Mussak eu falo exatamente sobre isso.

[vimeo http://vimeo.com/33396511]

Enfim, invista sempre pensando que quão melhor preparados estiverem seus profissionais, melhores são as chances de você ver a sua estratégia se transformar em uma execução perfeita.

Um grande abraço,

José Ricardo Noronha

Changes Ahead , Road Warning Sign , 3d render

3 Ps cruciais para focar em tempos de mudanças aceleradas

Muito se tem falado sobre a velocidade das mudanças no mundo corporativo. Os clientes e suas respectivas necessidades e desejos mudaram, os nossos concorrentes mudaram, as ferramentas tecnológicas mudaram e as perspectivas econômicas mudaram.

E muitas vezes neste processo de “reinvenção” que muitas empresas têm mergulhado para continuarem a crescer de forma sustentávels, 3 elementos que continuam importantes e serão cada vez mais essenciais merecem absoluto destaque:

1. Propósito: aproveite este momento de crise para revisitar o seu propósito pessoal e também o propósito real de existência da sua empresa.

Diante de clientes cada vez mais exigentes, bem informados e muito mais orientados e ávidos a se relacionarem com organizações com as quais verdadeiramente se identifiquem e que genuinamente se interessem em bem lhes atender e encantar, ter um propósito grandioso é mais do que nunca fundamental!

Empresas com propósito real e bem definido têm um poder quase que magnético para atrair novos e talentosos profissionais e, consequentemente, inúmeros novos clientes.

Elas também têm uma facilidade muito maior em se aproximar e melhor entender as necessidades existentes – e, principalmente, as não existentes – do seu público-alvo. E, além disso, geram muito mais valor a todos os stakeholders a ela conectados (clientes, fornecedores, investidores e à sociedade em geral).

Pego aqui emprestado um precioso ensinamento do excelente livro “Propósito”:

“Quando o propósito guia, o lucro acompanha”.

Mãos à obra: revisite ainda hoje o seu propósito e o propósito de existência da sua empresa!

2. Performance: incremente o quanto puder seus processos, dando ênfase à criação de uma empresa que tenha uma cultura de alta performance, que seja coesa em torno de seu propósito e que tenha uma visão inspiradora de longo prazo.

E, por alta performance, entenda-se uma organização que tenha metas claras em todas as áreas, que privilegie a meritocracia e que genuinamente tenha seus clientes e públicos alvo como centro de sua estratégia.

E tudo isso só se faz possível com uma cultura obsessivamente focada na boa execução, buscando de forma incansável aumentar a produtividade ao fazer cada vez mais com cada vez menos.

Outra dica muito legal: coloque em prática a partir de já a “estratégia dos 3 Ms”: faça mais (maiores vendas, melhores margens etc.), com menos (menos recursos) e melhor que seus concorrentes

3. Pessoas: para reinventar uma empresa é fundamental investir nas pessoas. E, para se reinventar, é crucial investir em você mesmo.

Quando falo em investir em pessoas e em você mesmo me refiro ao investimento vigoroso nas habilidades relacionais (chamadas de “soft skills” e que têm mais ligação às atitudes, aos comportamentos e à chamada e cada vez mais valorizada Inteligência Emocional ou QE – Quociente Emocional) e nas habilidades técnicas e intelectuais (chamadas de “hard skills”, que possuem maior ligação ao conhecimento técnico, aos treinamentos formais e ao conceito de QI – Quociente Intelectual).

QI (Quociente Intelectual) + QE (Quociente Emocional) é a “fórmula de sucesso” que lhe permitirá brilhar ainda mais em tempos desafiadores e de aceleradas mudanças.

Propósito, Performance e Pessoas: eis os três pilares essenciais para se reinventar e para reinventar sua organização nestes tempos de maior complexidade, mudanças aceleradas e de gigantescas oportunidades aos profissionais e empresas bem preparados.

Quem não mudar, ficará para trás! E quem não atentar a estes 3 Ps terão uma dificuldade cada vez maior para se manterem competitivos.

Gostou deste artigo? Curta, comente e compartilhe com seus amigos, líderes e liderados que possam se beneficiar desta tão importante reflexão sobre estes 3 Ps.

Um grande abraço e ótimas vendas!!

José Ricardo Noronha | www.paixaoporvendas.com.br

Tired businesswoman sitting at the table and looking on the clock

Gestão do tempo: a difícil arte de fazer escolhas

Em praticamente todas as empresas que tenho a honra de ajudar e servir no Brasil inteiro, os líderes e profissionais de vendas têm compartilhado comigo que um dos maiores desafios para incrementar a produtividade e a performance de vendas é o da gestão do tempo.

Sim, o tempo continua sendo o principal “vilão” no nosso atribulado e cada vez mais desafiador cotidiano na área de vendas.

No entanto, como eu sempre faço questão de provocar em meus treinamentos, workshops, palestras e aulas de MBA, o problema de não termos tempo para isso ou aquilo é absolutamente nosso e não pode ser atribuído a qualquer outra pessoa que seja e em especial destaque atribuído ao cliente que tem por tantas vezes se deparado com profissionais mal preparados exatamente por não terem investido seu precioso tempo para se prepararem melhor para darem um verdadeiro “show”.

Vivemos um tempo de aceleradíssimas mudanças no nosso fascinante mundo das vendas. Os clientes estão cada vez mais exigentes, bem informados e repletos de bons produtos e serviços à sua disposição. E estes mesmos clientes e prospects têm demandado um nível de prestação de serviços incrivelmente superior ao que era oferecido em outros tempos.

E este nível de exigência necessariamente passa pela crescente necessidade de alocarmos um tempo de maior qualidade às mais cruciais atividades que fazem parte do cotidiano de vendas.

Desta forma, se você tem reclamado sempre que anda “sem tempo”, o problema é seu e não do seu cliente que espera de você e da sua empresa um atendimento realmente espetacular que só se faz possível com o cada vez mais raro “tempo” de qualidade!

Tempo para prospectar. Tempo para visitar novos clientes. Tempo para se dedicar aos clientes já existentes. Tempo para revisitar os clientes perdidos. Tempo para se capacitar. Tempo para ler e enviar e-mails. Tempo para resolver urgências. Tempo para se relacionar.

Enfim, inúmeras são as tarefas que fazem parte do profissional “campeão de vendas” que muitas vezes não tem mais conseguido se dedicar a tarefas tão cruciais e que uma vez negligenciadas têm impacto direto na baixa produtividade e em níveis medíocres de performance de vendas.

E daí você que tanto me prestigia com seu carinho e confiança, pode me perguntar: Faz muito sentido tudo isso Zé! Mas como é que eu faço para incrementar a minha produtividade e ter uma melhor gestão do tempo, hein?

De forma bastante simples, resumida e direta: faça melhores escolhas!

Não quero e nem posso ser simplista, mas a questão relacionada à melhor gestão do tempo está umbilicalmente ligada à nossa competência ou à nossa incompetência na gestão do tempo! Quer alguns exemplos práticos? Vamos lá!

  • Quando não se investe um tempo de qualidade na melhor identificação dos clientes e públicos alvo que sua empresa trabalha, há um risco claro de se gastar o precioso tempo nos clientes errados ao invés de investir o seu valiosíssimo tempo nos chamados clientes ideais. E para fazer isso, será necessário que você dê especial ênfase aos seus clientes e prospects que de fato sejam “alvo” e que você visite menos ou simplesmente deixe de visitar uma série de clientes “ruins” que só lhe roubam o tempo e a sua energia. Simples assim!
  • Quando não fazemos bom uso dos inúmeros recursos tecnológicos que foram criados aparentemente para incrementar nossa produtividade, nós nos tornarmos paradoxalmente infinitamente mais improdutivos. Deixar o WhatsApp ligado o dia todo, checar as suas redes sociais inúmeras vezes ao dia e checar sua caixa de e-mails a cada 10 minutos são ações que têm impacto direto em uma pior produtividade. Simples assim!
  • Quando não organizamos o nosso dia e idealmente a semana em um caderno, no Outlook ou em qualquer outro dispositivo que seja, nós deixamos de priorizar as tarefas e ações mais importantes do nosso dia que são aquelas que respondem não por acaso pela alta produtividade que os novos tempos exigem. Ter tempo determinado para checar e-mails, ter um tempo específico para prospectar novos clientes e priorizar um tempo de qualidade para melhor se relacionar com os clientes já existentes são exemplos claros dos profissionais que conseguem produzir mais exatamente por terem feito melhores escolhas. Simples assim!

Portanto, produtividade é fazer mais com menos o que só se consegue com uma melhor gestão do tempo. E uma boa gestão do tempo passa necessariamente por uma série de pequenas e grandes escolhas que fazemos diariamente.

Quão mais certeiro e certeira e disciplinado e disciplinada você for em suas escolhas, maior será a sua produtividade! Simples assim!

Gostou deste artigo? Fique à vontade para compartilhá-lo com seus amigos, líderes, liderados ou com quem precisa como todos nós incrementar ainda mais sua produtividade.

Um grande abraço e ótimas vendas!

José Ricardo Noronha | www.paixaoporvendas.com.br

viele Daumen hoch zu einer Idee

5 dicas realmente incríveis para turbinar a motivação dos seus profissionais

Um vídeo inspirador e recheado de dicas práticas para incrementar a motivação e o engajamento dos seus profissionais!

Curta, comente e compartilhe com seus amigos, colegas, líderes e liderados!

E esta é apenas 1 das mais de 200 videoaulas da Universidade das Vendas! Surpreenda-se com esta plataforma incrível de aprendizagem em vendas:

http://www.universidadedasvendas.com.br

Abraços e boas vendas!

José Ricardo Noronha | www.paixaporvendas.com.br | www.universidadedasvendas.com.br

Execução é tudo em vendas!

Em minhas palestras, cursos e aulas de MBA, costumo sempre dizer que muitas são as empresas que são realmente brilhantes na formulação de estratégias que tem tudo para se tornarem grandes sucessos de vendas, mas que no entanto falham terrivelmente na hora da execução.

E como é que se pode explicar resultados aquém dos previamente estabelecidos ou muitas vezes desastrosos em uma estratégia bem desenhada? De forma bastante simples e direta, pode-se dizer que quando a estratégia falha (e as vendas não acontecem), isso se dá usualmente em virtude de uma execução falha. No mundo das vendas profissionais, costumo dizer que há um gap muito grande entre uma estratégia que é bem formulada e a execução que é mal realizada, o que acontece principalmente em virtude do não investimento em capacitação e treinamento da força de vendas.

Incluir processos claros que permitam monitorar a performance de vendas e tornar a execução a mais disciplinada possível são duas ações absolutamente fundamentais para se obter resultados e para que fazer com a estratégia realmente funcione bem. Mas tão importante ou talvez até mais que estas duas ações é treinar, treinar e treinar a sua força de vendas para que seus vendedores (por favor parem de chamá-los de consultores, especialistas de vendas etc) entendam de forma precisa qual e á estratégia da empresa, como ela deverá ser executada, com quais ferramentas e técnicas e principalmente por qual propósito (se sua empresa ainda não tem um propósito empolgante e nobre de existência, busque um imediatamente).

Se você já é um líder de vendas, eu compartilho 5 dicas que tenho certeza lhe serão de grande valia na criação de uma cultura voltada à boa execução:

  • A estratégia deve ser simples de entender. Seja um profundo conhecedor das minúcias e detalhes da estratégia da sua empresa e por mais complexa ela for torne-a a simples de ser entendida pelos seus profissionais e esteja ao lado deles o quanto puder, estabelecendo uma comunicação 100% franca que lhes permita dizer se há dúvidas, questionamentos ou discordâncias em relação aos planos estratégicos estabelecidos.
  • Metas e prioridades claras. Olha a simplicidade aqui novamente! Por mais complexas sejam as metas e prioridades da estratégia da sua empresa, elas precisam estar claras nos corações e mentes da sua força de vendas. Uma vez estabelecidas e devidamente entendidas, monitore-as com disciplina ferrenha.
  • Feedback sempre e foco na performance. Vivemos um hiato de lideranças e talentos nas organizações e os grandes líderes são aqueles que inspiram, cobram resultados e estão (de verdade!!) ao lado das suas equipes comerciais. Por isso mesmo, mantenha contato constante com seus liderados dando coaching (ao compartilhar suas experiências e perspectivas e ao entender realmente bem os drivers de execução e missão de existência dos seus liderados) e apoio para que cada um dos indicadores de performance estabelecidos nos planos estratégicos sejam perseguidos e alcançados um a um.  Processos bem definidos, perseguidos e bem implementados!
  • Premie os melhores. Aos profissionais de mais elevada performance, prêmios , coaching e treinamento para produzirem ainda mais. Aos de performance mediana, ainda mais treinamento e acompanhamento para entender onde estão e quais são os gaps que os tem impedido de performar bem. E aos de performance ruim e comportamentos inadequados, é melhor se desvencilhar deles. Legal lembrar aqui dos ensinamentos do Jack Welch (da famosa regra 20-70-10), onde 20% são os “top performers”, 70% os “middle performers” e 10% os “poor performers”.
  • Treinamento hoje e sempre. Diante de um mercado cada vez mais complexo, repleto de competidores (que tendem a comoditizar a maioria dos produtos e serviços) e de clientes mais exigentes, só há uma certeza: se você e sua Equipe continuarem a fazer o que sempre fizeram, o melhor que lhes poderá acontecer é continuar colhendo os mesmos resultados, o que ao final do dia significa não crescer e dar espaço de crescimento aos seus concorrentes. Por isso mesmo, invista de forma vigorosa na capacitação e treinamento da sua força de vendas. Invista em técnicas de negociação, liderança, comunicação (em breve abordarei o apaixonante tema de linguística de vendas aqui neste Blog), intraempreendedorismo, técnicas de vendas, encantamento de clientes, atendimento etc.

No vídeo abaixo em uma entrevista minha com o brilhante amigo Eugenio Mussak no Programa Papo de Líder eu falo exatamente sobre isso.

Enfim, invista sempre em treinamento com a certeza de que quão melhor preparados estiverem você e todos os seus profissionais, melhores serão as chances de você ver a sua estratégia se transformar em uma execução perfeita.

Um grande abraço,

José Ricardo Noronha

Palestras e Cursos Memoráveis: Entre em contato pelos telefones (11) 4153.6889 / 98338.5300 ou e-mail, para montarmos juntos uma Palestra ou Curso Memorável de Vendas em sua Empresa. Clique aqui para ver os depoimentos dos meus fãs.

Dica adicional de leitura: O ótimo livro “Execução – A Disciplina para atingir resultados” de Larry Bossidy e Ram Charan (considerado um dos maiores especialistas do mundo em Execução).

Execução

Você Vai Continuar
Torrando Dinheiro com
Treinamentos e Palestras?

Baixe agora o eBook rápido de alto impacto com
5 dicas preciosas para não torrar dinheiro com
treinamentos desconectados da sua realidade.

Você está a UM PASSO de baixar
seu exemplar do eBook!

Deixe seu nome e seu melhor e-mail
para receber o link de download.